O PROJECT FI


5/6/2017 |

Vou fazer quatro perguntas diferentes e respostas diferentes virão à sua cabeça. Mas, no fundo, será a mesma coisa. Qual é o seu pesquisador padrão? Qual é o seu site de compartilhamento de vídeos favorito? Qual foi sua primeira rede social? Qual é a empresa-chefe que organiza tudo isso? Sim, o Google! Além desses, o Google oferece ainda outros serviços importantes, como sistemas operacionais para computadores e smartphones, linha de celular, entre outros. E podemos dizer que todos são de ótima qualidade.

Algo que faz com que todo brasileiro sinta um certo incômodo na qualidade dos serviços das empresas de telefonia em nosso país. Mas como uma área do Google voltada para a telefonia mudaria alguma coisa? Aqui, no nosso país, ainda não podemos descobrir, mas, após muitos rumores, foi apresentado oficialmente, o Project Fi.

Nas primeiras informações que vasaram, ou que deixaram vasar, ninguém sabe ao certo, víamos chips e pensávamos que iria ser uma operadora como qualquer outra. Mas, após o dia 22 de abril de 2015, descobrimos que iria muito além de uma simples empresa telefônica.

Inicialmente, os únicos aparelhos que vão poder desfrutar são o Pixel, desenvolvidos pelo Google, e os NEXUS 6P e 5X, aparelhos desenvolvidos pela Motorola, antiga Google (hoje ela pertence à Lenovo). Atualmente, estes aparelhos são os únicos com hardware e software adaptáveis a essa tecnologia do Project Fi.

Futuramente, outras empresas devem se adaptar ao novo modelo de comunicação. Vejo esse projeto como uma grande jogada de marketing e início de uma grande disputa: o Sistema Operacional Android é do Google, mas a empresa que mais vende aparelho com o Android é a Samsung que, devido a sua tecnologia exclusiva e de qualidade, detém o maior número de usuários desse sistema. O Google, com a fama de "Android Puro", não poderia inovar no Nexus, mas, ao vendê-lo para a Lenovo, essa inovação tornou-se possível.

Mas... como será essa tecnologia de comunicação inovadora? Falo que para se fazer inovação não é necessário ser algo em que ninguém pensou, ou fora da realidade. Quem nunca fez uma ligação por um aplicativo de comunicação quando estava sem sinal de telefonia e contava apenas com o wi-fi? Então, essa será a tecnologia usada pelo Project Fi. Baseado na comunicação rápida e de qualidade, o aparelho irá escolher por qual rede você irá realizar a sua ligação, podendo ser hotspot wi-fi ou uma rede LTE 4G, tendo como base a sua localização.

Com mais de uma opção de 4G, você poderá iniciar uma ligação em sua rede wi-fi doméstica, por exemplo, ir caminhando até o trabalho, e a ligação mudar para uma rede 4G, e depois para outra, sem nenhuma interferência em sua ligação. Mas isso só será possível graças a uma parceria com outras empresas de telefonia americana.

Não bastando essa incrível facilidade e rapidez, assim como a maior parte dos serviços do Google, seu número será guardado na nuvem, sendo possível acessá-lo e utilizar em outro celular, e pacote de dados, permitindo que os usuários continuem com seu número caso percam o chip.

Além disso, o preço é considerado atraente, em média 60 reais mensais por ligações ilimitadas, e o pacote de 4G custa cerca de 30 reais a cada Giga consumido. Mas, infelizmente, essa tecnologia, inovação e praticidade só estarão disponíveis nos Estados Unidos. Aqui, no Brasil, ainda estamos esperando coisas como o Google Fiber.

Uma das frases mais famosa do Google é: "It's your turn to change the world" (É a sua vez de mudar o mundo). Essa frase vai além dessas palavras. Ouço-a como um encorajamento ao "invente, recrie e mude", assim como o Google acabou de fazer. Um passo que está nos levando para o futuro, assim como no vídeo de lançamento do Project Fi, que diz que isso será o futuro.

Por Ramon Domingos, 20 Anos, estudante de Tecnologia da Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN.

Convidado

Proteja seu filho nesta volta às aulas com Norton Security